Moda Musical...

Posted: terça-feira, 31 de março de 2009 by Jean in Marcadores:
3



Olá amigos. Vocês devem perceber as constantes mudanças que ocorrem no cenário musical do nosso país.

Eu, enquanto musico, sofro diretamente o efeito de todas estas mudanças.


Durante um bom tempo, a droga chamada “Funk” foi a droga mais consumida pelas jovens brasileiros. Letras ridículas e promíscuas, melodias sem o menor fundamento e intérpretes sem o menor talento. Um lixo musical.


Essa moda musical vinda dos infernos, graças a Deus, só conseguiu infectar aquelas pessoas que não possuíam cultura.


Aos que saíram ilesos desta onda de lixo musical, outras modas musicais ainda estavam por vir.


Até um tempo atrás a moda era ouvir musica “emo”. Isso incluía assumir posturas homossexuais, emotivas e retardadas. Nesse tempo, 90 % das músicas eram dessa “categoria”. Tudo o que se ouvia nas rádios eram Nxcredo e Fresco.


Não tenho nada contra essas músicas, e nem contra os seus intérpretes. Eu tenho contra a falta de cultura e personalidade dos ouvintes destas músicas que admiram uma banda exclusivamente comercial, falsa e fabricada pelas gravadoras.


Eu não vejo graça em ouvir uma banda que não surgiu de uma garagem sabe? Uma banda que não lutou e suou pelo sucesso. Não vejo graça em ouvir uma banda de músicos programados e fabricados pelas gravadoras. Mas...Isto não vem ao caso.


A moda agora é o Sertanejo. Vítor e Creu, César sei lá o que e Fabiano, Fernando e Sorocaba, Tio doca e Nereu, Nhô do rodo e Zé da enxada...

A criatividade em se inventar nomes de duplas sertanejas é notória. E mais notória ainda é a quantidade de gente que está adotando esta nova moda.


Se você avistar dois caras e um violão... Pronto! Eles são uma dupla sertaneja.

As rádios só tocam isso, as pessoas só falam nisso. Mas o que é que existe de tão interessante neste movimento?


Musicas de melodia pobre e letras sentimentais... Isso me lembra muito as letras das músicas “Emos”. Só mudou o ritmo. A mesma porcaria de letra continua.



Letras que dizem tudo e não falam nada.


Existem sim artistas sertanejos que são muito bons e com letras realmente bonitas. Mas eles são raríssimos e não recebem reconhecimento e ajuda nenhum das gravadoras.


O “Up” do momento é promover duplas de uso comercial. Pessoas remuneradas pra sorrir e tocar aquilo que o povão gosta.


Fazer o que...Até a moda muda com esses movimentos.


Qual é a graça em usar chapéu de cowboy e aquelas botonas de couro em plena cidade grande e sem nunca ter tido um contato real com o campo? Ouvir sertanejo te transformará em um cowboy?


Isso é engraçado. Dentro de minha própria banda eu vejo os reflexos destas modas.



A partir de maio, uma das bandas que eu toco deixará suas raízes do Rock para tocas essas drogas sertanejas.


Eu, sou remunerado para isso. Como um complemento de minha renda, posso até aceitar tocar essas musicas. Mas não me sinto bem com isso.


Isso se chama prostituição. Alguns músicos são obrigados a prostituir os seus ideais e seus gostos para poderem sobreviver no cenário musical nacional. Isso é triste.


Em um ramo como a música, onde a autenticidade e a liberdade deveriam ser o grande diferencial, se torna cada dia mais difícil ser autentico em meio a tantas modas musicais.


O jeito agora é aderir o modão e rezar para que as boas músicas voltem a moda...

3 comentário(s):

  1. Concordo com seu desabafo, essa moda esta acabando com as músicas e os músicos que tem algo a acrescentar ao Mundo. Nem vou comentar oq eu ouço na minha região, é uma vergonha, tendo um dos melhores cantores de baião do Mundo, o Luis Gonzaga. Paciência!!!

    Bjos ú&e

  1. Querido Amigo Jean,

    Como vai você, amigo?

    Ao ler este seu post sobre prostituição musical, devo lhe lembrar que em Portugal é quase o mesmo. Só muda o estilo musical.

    Quem vende mais discos são dois tipos de artistas ou grupos: Os muito bons (que pelo seu enorme talento se impuseram e o verdadeiro talento impõe-se sempre) ou os "pimbas". Estes até podem ter muito boa voz, mas as letras não p'ra "boi dormir" e o ritmo melódico é tipo marcha. Obtiveram esta denominação devido a uma determinada cantiga que dizia assim:

    "E quando elas querem
    um abrço ou um beijinho
    Nós pimba, nós pimba"

    (como se pode ver profundíssima este pequeno extracto.

    Mas são eles que, no intervalo dos que são de facto talentosos, vendem milhares de discos entre o povão muito inculto.

    Mas só você poderá decidir se quer ou não prostituir-se a tocar esse tipo de música que tanto detesta. Tem bom remédio. Não toque, pois a sobrevivência não responde a tudo. Excepção feita para o facto de você viver completamente da música.

    Não sabe fazer visualização criativa daquilo que quer que aconteça na sua vida? Experimente e vai ver o poder da sua intenção a funcionar.

    Um grande abraço e muito boa sorte para si e sua música.

    Um grande abraço

    José António

  1. Caro Jeam,

    Resta-me dizer que aquela posição na viola (ou violão como vocês dizem) é um re maior. Sabe, eu também toquei num conjunto daqueles que animam festas e passagens de ano e tocam tudo. Tocava e cantava.

    Um grande abraço

    José António.

Liberdade de Expressão

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Importante!!!

Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra. Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apaga-lo ou compra-lo após 24 horas. - A Aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. - Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site, não tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los. - O usuário que utilizar o site, tem total conhecimento, e aceita os termos referidos acima.